Palácio Museu Olímpio Campos -
    
   
GOVERNADORESINSTITUCIONAL O PALÁCIO NOTÍCIAS GALERIAS ARTIGOS e TEXTOS PROGRAMAÇÃO CONTATOS

 

19 DE ABRIL DIA DO ÍNDIO

19 DE ABRIL DIA DO ÍNDIO
O Território Brasileiro antes da chegada dos portugueses era habitado por povos chamados ÍNDIOS; e o que seria os ÍNDIOS? Pesquisando no dicionário de etimologia encontramos a seguinte afirmação: "a palavra indian, ou índio, na Europa da Idade Média, aplicava-se não apenas aos habitantes da região hoje conhecida como ÍNDIA, mas também a todas as regiões mais distantes do desconhecido Extremo Oriente. O comércio com o Extremo Oriente era altamente lucrativo, mas a jornada por terra era longa, difícil e cara. Foi isso que acabou motivando as grandes navegações e os descobrimentos por parte de Portugal e Espanha. Quando Cristóvão Colombo alcançou as terras da América crente que havia descoberto o caminho para as Índias navegando na direção oposta à dos Portugueses não titubeou em chamar os nativos ali encontrados de índios. Foi portanto fruto de um tremendo erro de geografia que a palavra índio passou a designar os nativos das novas terras Americanas.
Quando os portugueses chegaram ao Brasil encontraram uma vasta população que segundo estimativas variava entre três e cinco milhões de indígenas. Em geral o maior contato dos índios com os europeus acontecia na faixa litorânea do nosso país, onde predominava os grupos Tupi Guaranis. Sergipe é um estado litorâneo e consequentemente teve uma vasta população indígena. Hoje possui apenas a Aldeia dos Xocós na Ilha de São Pedro e na Caiçara localizadas no Município de Porto da Folha, às margens do Rio São Francisco. Já no século XVII os Jesuítas localizaram os índios e em 1758 os capuchinhos ergueram na Ilha a Capela dedicada a São Pedro. A partir do século XVIII essas terras começaram a ser disputadas e só em 1979 os Xocós num processo de reconquista retomaram a Ilha de São Pedro e continuaram a luta pela Caiçara, que finalmente na década de 90 passaram a incorporar novamente a aldeia. Hoje os Xocós têm uma população em torno de 400 pessoas que vem revitalizando traços marcantes da sua cultura, utilizando-se de todos os elementos que envolve esses rituais como: roupas, pinturas corporais etc. Na sua estrutura social os Xocós possuem o Cacique que é escolhido por eleição anual juntamente com o Pajé; a Aldeia contém ainda um Conselho Tribal que auxilia o trabalho do Cacique. Economicamente vivem do artesanato, da pesca e das culturas de subsistência.
A data de 19 de Abril foi criada no Brasil como dia do ÍNDIO pelo Presidente Getúlio Vargas, através do Decreto-lei nº 5540 de 1943. A data foi proposta pelas lideranças indígenas que em 1940 participaram do Congresso indigenista Interamericano realizado no México. De lá para cá a data tornou-se u momento de reflexão em relação aos primeiros donos da terra brasileira.

Texto produzido pela equipe da Coordenação de pesquisa
e educação do PMOC.












Postado: 24/04/2018 - 16:41:37

 

 

Mapa do Site
Institucional O Palácio
Notícias Galerias
Artigos Programação
Contatos Tour 360°
Jogos Planta 3D
Biblioteca  
Administração

DIRETOR: Alberto Araújo
TEL: (79) 3198-1462
Coordenação de Acervo Museológico 
Setor que abrange a curadoria e a monitoria, sendo responsável pelas informações e pelo acervo museológico do Palácio-Museu, e orientação dos visitantes e também, pela expografia dos seus ambientes.

COORDENADORA: Izaura Ramos
TEL: (79) 3198-1454
Coordenação de Pesquisa e Educação . Setor que abrange os serviços de arquivologia, pesquisa, comunicação e de ações educativas.

Palácio-Museu

A definição de casa-museu ou palácio-museu prevê a proteção da propriedade natural ou cultural, móvel ou imóvel, em seu local original, ou seja, preservada no local em que tal propriedade foi criada ou descoberta. Para que isso aconteça é necessário promover a restauração do patrimônio e utilizá-lo com fins didático-pedagógicos e culturais. Além disso, o Palácio-Museu Olímpio Campos promove eventos abertos ao público, a exemplo de exposições fotográficas, mostras de artistas, lançamentos de livros, entre outros. O novo projeto disponibiliza também serviços de guia para visitação, curadoria, pesquisa, documentação histórica, cafeteria e livraria etc.
Todos direitos reservados ©
Secretaria de Estado da Casa Civil
Visitantes